THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

Pare o mundo que eu quero descer ...


Raul Seixas

tentando fazer poesia
do que me arranca a Alma,
ela mesma, mesmo que seja em pranto ...

terça-feira, 6 de setembro de 2011

morrendo




vivendo, assim

recordando, para sempre o que me levou bocados da minha alma

me recortou, por dentro, esquartejando

e ela, pequena se tornou

e não, assim, se conseguindo enquadrar na imensidão da vida que se me apresenta

dia a dia

e dói, como dói, Deus meu

como dói, dentro

não sentir conseguir alcançar, nada

não conseguir, mesmo esperando, sempre

que a vida onde me deixastes, tão só

e por muito que busque, nada encontro

apenas, e isso sim

a minha consciência, plena

de que não sou nada, aqui

apenas sou, sinto-me,

na imensidão deste mundo

uma lágrima mais

caíndo sem fim ...










0 comentários:

Aquilo a que a lagarta chama fim do mundo, o homem chama borboleta.
(Richard Bach)

Somos prisioneiros da vida e temos que suportá-la até que o último viaduto nos invada pela boca adentro e viaje eternamente em nossos corpos

Raul Seixas

Mensagens populares